Disney fornece detalhes sobre preços do seu serviço de streaming

O serviço de streaming da Disney provavelmente custará menos do que o Netflix, e os usuários poderão eventualmente agrupá-lo com os aplicativos ESPN e Hulu para se aproximar mais de uma assinatura tradicional de TV a cabo.

Durante a teleconferência sobre resultados financeiros do terceiro trimestre de 2018 realizada Nesta terça feira (07), o CEO da Disney, Robert Iger, afirmou que os aplicativos Hulu e ESPN serviriam diferentes públicos – mas que a empresa já considerou como melhor servir os consumidores que existem na seção sobreposta dos diagramas de Venn dos aplicativos.

“Se um consumidor quiser todos os três, em última análise, vemos uma oportunidade de agrupá-los a partir de uma perspectiva de preços”, disse Iger, explicando que a razão para mantê-los separados reside em uma filosofia de pacotes menores mais direcionados ao consumidor, e tentar agregar todo o conteúdo diversificado da Disney em um lugar provavelmente se tornaria pesado.

Iger também disse que o preço do serviço de streaming da Disney direto ao consumidor refletirá em um aplicativo que tem um volume menor de conteúdo de prestígio, em vez da filosofia mais abrangente que impulsiona a Netflix.

“O preço refletirá um volume menor de produto, assim como o custo de produzir e possuir esse conteúdo”, explicou Iger.

Durante a teleconferência, ele reiterou que o aplicativo apresentará todo o novo conteúdo da Disney a partir do ano civil de 2019, bem como produções originais de TV e filmes criadas para o aplicativo, explorando a propriedade intelectual da Disney, incluindo Marvel, Pixar, 20th Century Fox e Lucasfilm.